Deus restaurando minha vida.

 

SALMO 46
1- Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na
   angústia.
2 -Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que
   os montes se projetem para o meio dos mares;
3- ainda que as águas rujam e espumem, ainda que os montes se
   abalem pela sua braveza.
4- Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o lugar
   santo das moradas do Altíssimo.
5 -Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará desde o
   raiar da alva.
6 -Bramam nações, reinos se abalam; ele levanta a sua voz, e a
   terra se derrete.
7 -O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso
   refúgio.
8 -Vinde contemplai as obras do Senhor, as desolações que tem feito
   na terra.
9 -Ele faz cessar as guerras até os confins da terra; quebra o arco e
   corta a lança; queima os carros no fogo.
10 -Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as
   nações, sou exaltado na terra.
11 -O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso
   refúgio.

 

Dia: 13/06/2012.

 

Acordei cedo tomei meu banho e minha irmã e eu saímos para trabalhar, na cidade de Cabo Frio, foi um dia normal ao sair do trabalho em caminho para casa na Rodovia Rio Bonito- Araruama no KM 30 próximo a minha casa, sofremos um acidente: No primeiro momento a minha preocupação era a minha irmã que estava na minha carona.

E então ali caída no chão eu não estava preocupada comigo e sim com minha irmã e depois de um tempo chegou o corpo de bombeiro, bom ai então lembro que entrei no carro do corpo de bombeiro alguns minutos depois eu ñ sei oque aconteceu comigo, pois me disseram que não por algum tempo estava morta, contaram que cheguei ao UPA (unidade de pronto atendimento), e falaram que ñ poderia me deixar na upa porque lá não tinha condições de atendimento para mim, então já havia algumas pessoas da minha família estava lá achando que eu já havia morrido, e ai fui levada para Hospital Regional de Araruama segundo o Dr. Hastor eu morri por algum tempo que foi muito difícil eu voltar à vida.

Então, operaram a minha perna, que quebrei tíbia e fíbula e tive um corte enorme na minha coxa faltou pouco centímetro para eu perder minha perna. Ai fique uma semana no CTI no hospital regional de Araruama.

Minha mãe chegando para me visitar perguntei onde estava minha irmã e ele me disse que estava no hospital HC LAGOS e pedi para que me tirasse do Regional e me levasse para o HC LAGOS e então ela conversou com o medico e ele disse que iria providenciar a minha transferência e assim foi feita a minha transferência.

Chegando ao hospital HC LAGOS fui também muito bem recebida pela equipe do CTI que fiquei por mais o menos uns 15 dias, então fui transferida para uma enfermaria onde não passei nem um dia porque foi feito alguns exames em mim e foi descoberto que eu estava com algumas infecções algum tipo de bactéria, então fui levada para um quarto individual. La as pessoas para me examinar ou me medicar teria que usar um roupão.

Já diante mão quero agradecer a equipe médica, as enfermeiras, tec.de enfermagem, aux. De limpeza, o pessoal da cozinha, criei por vocês um carinho imenso.

E ai fiquei na HC LAGOS um período de um mês, e ai nesse período que fiquei neste hospital, e certo dia os médicos arrumou minha internação para um hospital, para fazer o enxerto que precisava fazer na minha perna e estava tudo certo então antes de fazer minha transferência, foi feito uma serie de exame, então não puderam me transferir, pois ali foi descoberto que eu estava com hepatite medicamentosa, então a semana passou e um domingo já havia acabado o horário de visita, e chegou um varão no meu quarto dizendo que DEUS havia mandado entregar um mistério, e o mistério que DEUS mandou ele me entregar era só confirmação, porque naquele lugar DEUS já havia me mostrado em sonhos e disse também que eu iria para um lugar e que era pra eu abrir a boca e fala de DEUS naquele lugar, que havia muitos afastado da casa do Senhor.

Passou a semana inteira e no sábado o meu celular parou de funcionar, liguei pra minha irmã pedi para que ela fosse a loja comprar um novo celular, mais para não comprar nada caro.

Ela foi a loja comprou um celular, um pouco mais caro referente ao valor que havia determinado que comprasse, então ela chegou no hospital HC Lagos e pedi para que ela gravasse alguns louvores, ela gravou e ficamos ali conversando, passou o dia ela foi embora e Fernando chegou conversamos um pouco e ali decidi pegar meu celular e ouvir os louvores que minha irmã havia gravado. Naquele momento foi forte fechei meus olhos e comecei a louvar o Senhor, e DEUS se fez presente naquele lugar, eu senti a presença de DEUS tão forte, mais tão forte que ali falei pra DEUS eu iria aproveitar que ele estava naquele lugar e pedi a DEUS que me ajudasse, que já ele havia presente naquele lugar e que a bíblia diz: fazei prova de mim e disse: DEUS hoje é sábado, pai eu preciso de uma resposta ate terça- feira, e ali fui dormi.

No dia seguinte, por volta de 09h00min da manhã chegou uma técnica de enfermagem no meu quarto, querendo saber do meu esposo, brinquei perguntei ela se estava devendo alguma coisa e ela disse que não, era que a recepção que precisava resolver minha ida ao Rio de janeiro e ali glorifiquei a DEUS.

E ali foi resolvido a minha transferência de hospital, a ambulância chegou por volta de 13h00min horas, embarcamos para o Rio de Janeiro, chegando ao hospital a recepcionista informou ao medico e ao meu esposo que o plano de saúde não havia liberado e minha internação, que era pra me levar de volta ao hospital eu estava, então meu esposo veio me informa oque estava acontecendo e ali dentro da ambulância olhei para o céu e disse DEUS que ele não era filho do homem para que minta nem filho o homem para que se arrependa e continuei na ambulância, aguardando a providencia de DEUS.

Passando um tempo me levaram para dentro do hospital, ali estava já cansada e me colocaram em uma maca, agora o problema já não era o plano de saúde e sim que um dos dois médicos assinasse a responsabilidade de minha internação, e o tempo passando.

Ao passar do tempo apareceu, um médico e perguntou ao meu esposo oque estava acontecendo, e meu esposo se lamentou dizendo ao médico que eu estava ali já algum tempo e os médicos responsável pela minha internação não estava ali, então o medico perguntou de onde erámos e meu esposo disse que erámos de Araruama, e ali ele fez algumas perguntas e resolveu assinar a minha internação.

                                                                                                               

Quando foram 20 horas, finalmente foi liberada minha internação. Subi para o quarto, ali me deparei com uma senhora por nome de Maria Nazaré e ele me perguntou oque aconteceu, disse que tinha sido um acidente de moto, ali ela começou a chorar dizendo que já havia duas semanas que ela estava ali, então glorifiquei a DEUS e disse a ela que eu já tinha quase dois meses que estava no hospital.

Então ali, DEUS me disse abre a boca, fale para ela do meu amor, e quando comecei a falar de DEUS a senhora começou a chorar, logo após ela se conteve graças a DEUS.

Então entrou no quarto a enfermeira chefe do hospital, era estranho ela não quis chegar perto de mim, achei estranho mais mesmo assim me aquietei e fui dormi.

No dia seguinte as 07h30min aproximadamente entrou no meu quarto uma técnica Priscila, e ai mais uma vez ouvi DEUS mandar abrir a boca, olhei para aquela técnica Priscila e deixei DEUS me usar, foi tremendo o agir de DEUS naquele lugar. E ai a enfermeira começou a preparar procedimentos para me dar banho e ai comecei a falar da dificuldade que tive para a minha internação naquele lugar, então surgiu novamente a enfermeira chefe do hospital e mais uma vez ela não chegou perto de mim, comentei com a técnica Priscila que ela já havia estado no meu quarto na noite anterior mais não chegava perto de mim, e ela me disse que a enfermeira chefe era espirita, ai então fui entender o porquê ela não chegava perto de mim.

Era forte a presença do DEUS na minha vida, por isso ela não chegava perto.

Depois de dois dias o medico cirurgião plástico foi ao meu quarto para ver o meu estado, chegou tirou todo curativo e estudou o estado, e disse que talvez tivesse que arrancar a perna, mais que ele iria fazer de tudo para manter a minha perna e teria um custo, e ai fomos conversar a respeito do valor que ele cobraria para fazer transplante, porque ele não trabalha com o meu plano de saúde.

E ai ele disse que iria facilitar, mais ele não sabia que eu não tinha dinheiro nenhum, então olhei para o céu e disse: E agora DEUS eu estou nas tuas mãos, então eu liguei para a Instituição que eu trabalho e falei um diretor, e falei que o médico iria tirar minha perna, porque eu não teria dinheiro para pagar, e meu diretor pediu para aguardar, que ele me daria um retorno e logo após ele me retornou dizendo que era para o médico fazer a operação que eles iriam me ajudar.

Bom, hoje se estou com as minha perna no lugar, preciso agradecer a DEUS e a Instituição que pagou o meu tratamento.

Naquele quarto, fiquei aproximadamente quase três semanas era horrível, não sabia esta estava sol ou se estava chovendo, era um quarto escuro, e meu esposo passava o dia inteiro ali comigo, mais não podia dormi ali por ser um quarto de mulher, então ele descia e infelizmente tinha que dormi sentado na recepção dias após dias e quanto ele já não aguentava mais ele chamou a irmã dele e mal conhecia e que sinceramente eu não gostava dela e nem ela gostava de mim parecíamos ser muito diferente.

Então ela chegou numa uma quarta-feira pela manhã de semblante fechado e eu também e disse a DEUS como seria meus dias ali eu precisar de alguém para me ajudar fazer as minhas necessidades, precisava de alguém pra me dar agua na boca, pra me dar comida enfim estava ali totalmente dependente de alguém, mais uma vez DEUS estava no controle de tudo ela esteve ali me ajudou cuidando de mim. Foi uma benção, tornamos amigas, ela começou a firmar mais na igreja e DEUS ali trabalhou também sobre a vida dela e da família dela.

Passou mais alguns dias e eu fui transferida para um quarto de isolamento, porque os médicos disseram que eu estava com vários tipos de bactérias e ali o medico disse que teria que usar um aparelho, ate ai tudo bem que a minha estadia, medicamento, e aparelho era por conta do plano de saúde, então foi solicitado o aparelho por nome VAC ao plano de saúde e logo o plano se negou e mandar o aparelho, liguei mais uma vez para o direto de onde eu trabalho para informar que eu iria processar o plano de saúde. Mais uma vez os meus patrões gentis comigo me disseram para processar, mais se caso não resolvessem era pra eu entrar em contado com ele, porque eu não iria ficar sem o aparelho.

Então a minha amiga Priscila nos informou oque onde teria que ir dar entrada na justiça, disse amiga porque já não era simplesmente a técnica Priscila, DEUS colocou ali para me ajudar e eu ajudar ela quando preciso.

E assim foi eu não podia ficar sozinha mais no começo era muito difícil porque o hospital deixava a pessoas cuidar de mim durante o dia, mais a noite eles teriam que descer e ficar sentado na recepção, e quando a enfermeira era amiga ela fazia vistas grossas para quem estivesse comigo poder dormir no meu quarto, e quando não era muitas das vezes eles tinham que se esconder dentro o banheiro, para não ser vistos e então foi formado rodizio para cuidar de mim, era meu marido, minha mãe, minha irmã, minha tia, minha cunhada. Porque além de ter que cuidar de mim tinha que manusear o aparelho: “VAC”, por ser um ferimento muito grande, era muito difícil fazer a vedação da minha perna, por isso o aparelho tocava de 4 em 4 minutos, então quem estava ali comigo tinha que se manter acordada dia e noite, não era fácil nem pra mim, nem pra quem ficava comigo. Porque além do VAC tinha mais duas bombas ligadas para passar medicamentos, e as bombas quando o medicamento tinha bolha, ela apitava desesperadamente.

Gente posso dizer que teve um período da minha vida, dentro do hospital que as minhas forças estavam sumindo e da minha família também porque ali já não conseguia mais comer estava tomando medicamento de pessoas que ficam em UTI, eu ficava muito mal, ate o cheiro da comida me fazia mal tudo que eu comia eu vomitava e uma diarreia terrível, nesse período tive que usar fraldas. Os médicos chegavam e eu via o desespero da minha família querendo saber dos médicos se o meu estado iria melhorar.

Os médicos diziam sempre que era normal e que não havia outro jeito de tratar das bactérias, se não com aqueles medicamentos.

Então o tempo foi passando e meu organismo passou a se acostumar com os medicamentos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Meus agradecimentos:

Primeiramente a DEUS, por me dar uma nova vida.

A minha mãe, que ate hoje continua cuidando de mim com muito carinho e paciência.

A minha família que tanto amo.

A Fernando, que naquele momento foi mais que um esposo.

Ao sinticom

A Marcia, que naquele momento DEUS trabalhou profundamente, meu sincero carinho.

Aos doutores: Jose Roberto, Hastor, Paulo Cesar, José Murilo, Eduardo, Luana.

Ao Jobson, que excecutava o seu trabalho com muita dedicação e foi amigo em todo tempo da minha família.

Aos fisioterapeutas, masoterapeutas, que além ser profissinal tornaram especiais.

Fica aqui meus sincero carinho.

A equipe do Hospital Regional de Araruama.

A toda equipe do hospital HC Lagos.

A toda equipe do hospital Tijutralma.

E a todas as pessoas que oraram por mim.

 

Enquete

Você gostou do meu site?

SIM (4)

100%

NÃO (0)

0%

Total de votos: 4

Contato

Ana Cristina

(22)99949-6661 Vivo
(22)98124-5580 Tim

Etiquetas

A lista de etiquetas está vazia.